The best bookmaker bet365

Дървен материал от www.emsien3.com

Folha de São Paulo: MEC se atrapalha de novo na divulgação de resultados, agora com o Prouni

Em: 06 Fevereiro 2024 | Fonte: Folha de São Paulo

Depois da liberação de notas erradas do Sisu, sistema do ministério que distribui bolsas em faculdades privadas fica fora do ar para consulta

Depois de um erro na divulgação dos resultados do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), o MEC (Ministério da Educação) voltou a ter dificuldade na entrega dos aprovados para o Prouni (Programa Universidade para Todos) nesta terça-feira (6).

Durante toda a tarde, o Portal Único de Acesso ao Ensino Superior ficou fora do ar e os candidatos não conseguiram acessar os resultados. A Folha questionou o ministério, comandado pelo ministro Camilo Santana, mas não obteve resposta sobre a previsão de normalização do acesso.

Nas redes sociais, os candidatos reclamam da recorrência dos problemas de divulgação.

 

falha e o atraso na entrega dos resultados do Sisu já haviam trazido impactos para as inscrições do Prouni, programa que concede bolsas a estudantes de baixa renda em instituições privadas de ensino superior. Em razão do atraso, o ministério decidiu prorrogar as inscrições do programa por mais um dia.

Apesar de darem acesso a universidades diferentes, as inscrições no Sisu e no Prouni estão interligadas. De acordo com o MEC, o candidato inscrito no Sisu pode se inscrever no Prouni. Porém, caso seja selecionado por ambos, tem que optar por um dos dois programas.

Há exatamente uma semana, na terça-feira (30), o MEC havia se programado para divulgar a lista dos aprovados no Sisu, mas alegou que devido a "problemas técnicos no sistema" precisou adiar a consulta teve que adiar a divulgação. Foi só no dia seguinte que os resultados foram publicados.

A falha frustrou estudantes. Alguns deles conseguiram acessar a página e viram que tinham sido aprovados nas universidades às quais se candidataram. Quando os resultados oficiais saíram, esses alunos descobriram que não conseguiram a vaga que haviam selecionado.

 

O MEC confirmou que houve uma divulgação indevida de resultados provisórios, que ainda não estavam homologados. De acordo com a pasta, os dados ficaram disponíveis por 25 minutos. A ocorrência está sendo apurada.

MINISTÉRIO TAMBÉM TEVE FALHA NO ENEM

Essas não foram as únicas falha no processo seletivo para o ensino superior na atual gestão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Além dos estudantes que foram frustrados com a divulgação indevida dos resultados, cerca de 50 mil inscritos na prova do Enem, cuja nota é usada para acesso ao Sisu, foram alocados em locais distantes das suas casas. O edital garantia que os participantes fizessem o exame a no máximo 30 km de distância de suas residências. Estudantes relataram distâncias de mais de 40 km.

Ao admitir o problema, o ministério disse que a definição dos locais de prova foi feita pelo Cebraspe (Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos), vencedor da licitação para aplicação do Enem 2023.

Como houve relato de alunos que avaliavam desistir de fazer o exame, o MEC autorizou esses candidatos a fazerem a prova em outra data. Mas houve casos de estudantes que preferiram fazer o exame na data original e tiveram que percorrer 33 quilômetros.

 
 
 

Online bookmaker Romenia betwin365.webs.com